quinta-feira, 16 de março de 2017

Bahia perde 1,7 mil vaga formais em fevereiro, mostra números do Ministério do Trabalho

Na contramão da média nacional, a Bahia perdeu postos de trabalho formais em fevereiro. Enquanto o Brasil apresentou saldo positivo (ou seja, criação)  de 35.612 vagas em fevereiro, a Bahia registrou, no mesmo mês, saldo negativo (extinção) de 1.704 vagas com carteira assinada.
 
Os números foram apresentados ontem pelo Ministéri do Trabalho e fazem parte do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho. O cadastro só mede o emprego e desemprego nas vagas formais, que são aquelas com carteira assinada e que garantem o acesso a benefícios trabalhistas como férias e 13º salário, entre outros.
 
Em termos de desempenho, a Bahia foi o 19º estado na geração de emprego em fevereiro. O primeiro lugar ficou para São Paulo, que criou 25.412 vagas com carteira. A última posição ficou com Pernambuco, que perdeu 16.342 postos. Na Bahia, em fevereiro, foram admitidos um total de 44.017 trabalhadores, enquanto outros 45.721 foram demitidos. Em termos relativos, a variação, frente a janeiro , foi negativa de 0.1%.
 
Em 2017 (janeiro e fevereiro), o saldo de desligamentos e contratações está negativo em 1.992 ( 92.818 admissões contra 94.810 desligamentos), uma variação negativa de 0,12% em relação aos dois primeiros meses de 2016. No acumulado de 12 meses (março de 2017 a fevereiro de 2017), a Bahia registrou a extinção de 65.378 postos formais,  fruto de 577.402 contratações e 642.780 demissões, variação também negativa de -3,72% frente aos 12 meses anteriores.
 
Dos setores analisados pelo Caged, o que mais perdeu empregos formais em fevereiro na Bahia foi a Construção Civil (2.533), seguido pelo Comércio (1.263) e pela Industria Extrativa e Mineral (139). Criaram mais vagas que extinguiram o setores de Administração Pública (positivo em 747), Indústria de transformação ( 575), Agropecuária (499), Serviços (254), e Serviços Industriais de Utilidade Pública - SIUP (156). 

0 comentários:

Postar um comentário