WhatsApp 75 8836-7094

segunda-feira, 15 de julho de 2019

Professora é condenada a 20 anos de prisão por sexo com aluno de 13 anos em sala de aula

A professora Brittany Zamora foi condenada, na última sexta-feira (12/7), a 20 anos de prisão por ter feito sexo oral em um aluno de 13 anos, em sala de aula, enquanto um outro estudante, de 11, assistia à cena.

O caso, que ganhou grande atenção da imprensa americana, ocorreu no início do ano passado na Las Brisas Academy, escola de ensino médio em Goodyear (Arizona, EUA).

"A senhora Zamora seduziu esses meninos, ganhou a confiança deles e, então, aproveitou-se da pureza deles para satisfazer os seus desejos sexuais. Ela é uma pedófila e não é diferente de um homem", disse a mãe de uma das vítimas em nota lida no tribunal, segundo a Fox News.

"Sou uma pessoa boa que cometeu um erro. Eu me arrependo profundamente", afirmou a professora, de 28 anos, antes de ouvir a sentença. Após conhecer a decisão do juiz, Brittany chorou copiosamente no tribunal. Com informações do Jornal Extra.

Gov. Mangabeira: Acidente envolvendo 1 caminhão e 2 veículos de passeio deixa mortos na BR-101.

Um acidente no início da manhã desta segunda-feira (15) envolvendo um caminhão que transportava blocos e dois carros de passeio, na comunidade de Lagoa do Torto, município de Governador Mangabeira, acaba em tragédia, deixando duas pessoas mortas e outros feridas.

Segundo informações preliminares levantadas, um caminhão carregado com blocos de cerâmicas e mais dois carros, colidiram-se na rodovia BR 101, KM 215, altura da localidade conhecida como Posto Águia. Deixando uma pessoa morta e outras feridas.

Devido a carga de blocos do caminhão ter se espalhado pela pista, o trânsito no local está temporariamente interrompido. Tanto a PRF (Polícia Rodoviária Federal) quanto o SAMU (Serviço Móvel de Urgência) já se encontram no local. O Voz da Bahia acompanha os fatos e a qualquer momento trará novas informações. (Voz da Bahia)
Foto reprodução

Gordura no fígado: o que é e como reverter

-(DAJ/Thinkstock/Getty Images)
Foto: DAJ/Thinkstock/Getty Images
Você tem reparado que, atualmente, mais e mais pessoas falam da tal gordura no fígado? Conhecida no meio médico com o nome de esteatose hepática, a doença diz respeito ao acúmulo de triglicerídios no órgão, e, na maioria dos casos, está intimamente ligada ao estilo de vida do paciente, como o sedentarismo e má alimentação. Então, não é à toa que tenha caído na boca do povo de uns tempos para cá: segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgados na revista científica Lancet em setembro do ano passado, a América Latina é a região que concentra o maior número de pessoas que não praticam atividades físicas. E o Brasil é o primeiro país na lista de sedentários.  Contudo, outros fatores também estão ligados ao aparecimento da doença. “Podemos dividir a esteatose hepática em alcóolica e não alcóolica. Suas causas são as mais diversas, como o uso de medicamentos corticóides, sobrepeso ou obesidade, diabetes, abuso de álcool e até hepatites virais. Alterações no colesterol e triglicérides também têm muito impacto para o surgimento do problema”, explica o médico especialista em emagrecimento com especialização em cardiologia e em endocrinologia/metabologia Derek Camargo, de São Paulo. Dessa forma, se você não é muito fã dos exercícios, não abre mão do happy hour e ainda mantém um cardápio rico em carboidratos simples e gorduras saturadas, é melhor prestar atenção. “Principalmente se já tiver níveis de glicose no sangue no limite do considerado normal. Nesse caso, o fígado começa a acumular açúcar e o transforma em gordura”, diz o endocrinologista e cardiologista Guilherme Renke, sócio da clínica Nutrindo Ideias, com sedes no Rio de Janeiro e em São Paulo. Segundo ele, pessoas com a chamada síndrome metabólica (condição diagnosticada em pacientes com cintura abdominal maior que 80 cm (nas mulheres), hipertensão, alteração da glicemia, colesterol e triglicérides), geralmente apresentam a gordura no fígado.

Fui diagnosticada com gordura no fígado. E agora? 

Calma, há solução. De acordo com o site da Sociedade Brasileira de Hepatologia, é possível controlar o quadro em 70% a 80% dos casos, desde que você tome algumas providências. E Guilherme Renke concorda: ele explica que a situação é completamente reversível, e demora em torno de seis meses a até dois anos para acontecer. “Quando pensamos na esteatose hepática não alcóolica, o caminho é um só: mudança no estilo de vida, com a adoção de uma alimentação saudável e exercícios físicos”, afirma Derek Camargo. Se o caso for alcóolico ou causado por alguma doença viral, o tratamento é feito por meio de medicamentos.
E é muito importante começar desde já, viu? Guilherme Renke explica que existem vários graus da doença, que vão desde o leve até os mais graves, como a inflamação e a cirrose. “O projeto alimentar precisa ser basicamente com restrição de carboidratos e álcool,  com ajuste dos macronutrientes e perda de peso do paciente”, ele acrescenta. Derek Camargo destaca os grãos cereais integrais, os peixes, frutas e vegetais como boas opções para incluir no cardápio. Com relação à prática das atividades físicas, faça a sua matrícula na academia para ontem. “Exercícios são fundamentais nesse caso, pois mobilizam os triglicerídeos presentes no órgão para que eles sejam queimados”, diz Guilherme Renke. Que tal procurar o seu médico e adotar as mudanças logo? (Boa Forma)

Em cinco meses, Brasil registra 17,9 mil mortes violentas; queda é de 22% em relação ao ano passado

-Foto: Ilustração
Foto: Ilustração
O Brasil registrou uma queda de 22% nas mortes violentas nos primeiros cinco meses deste ano em comparação com o mesmo período de 2018. É o que mostra o índice nacional de homicídios criado pelo G1, com base nos dados oficiais dos 26 estados e do Distrito Federal. Somente em maio, houve 3.521 assassinatos, contra 4.327 no mesmo mês do ano passado. Já no período que engloba os cinco meses, foram 17.907 mortes violentas — 5,1 mil a menos que o registrado nos meses de janeiro, fevereiro, março, abril e maio de 2018. A tendência de queda nos homicídios do país foi antecipada pelo G1 no balanço dos dois primeiros meses do ano, que apresentaram redução de 25% em relação ao mesmo período do ano passado, e no balanço das mortes violentas de 2018, que teve a maior queda dos últimos 11 anos da série histórica do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, com 13%. O número de assassinatos, porém, continua alto. O levantamento faz parte do Monitor da Violência, uma parceria do G1 com o Núcleo de Estudos da Violência da Universidade de São Paulo (NEV/USP) e o Fórum Brasileiro de Segurança Pública.
Mortes mês a mês: Brasil teve 5.108 assassinatos a menos — Foto: Diana Yukari e Guilherme Gomes / G1
Mortes mês a mês: Brasil teve 5.108 assassinatos a menos — Foto: Diana Yukari e Guilherme Gomes / G1
Os dados apontam que:
  • houve 5.108 mortes a menos nos primeiros cinco meses de 2019
  • 23 estados e o DF apresentaram redução de assassinatos no período
  • dois estados tiveram quedas superiores a 30%: Sergipe e Ceará
  • apenas três estados registraram alta de assassinatos: Piauí, Tocantins e Roraima
Redução de mortes violentas: número de vítimas cai de janeiro a maio de 2019 — Foto: Diana Yukari / G1
Redução de mortes violentas: número de vítimas cai de janeiro a maio de 2019 — Foto: Diana Yukari / G1
Três estados tiveram aumento de assassinatos nos primeiros cinco meses de 2019. Veja, abaixo, a justificativa de cada um deles:
Piauí: Em nota, a Secretaria de Segurança Pública do Piauí diz que o aumento no número de crimes em maio de 2019 “foi considerado atípico” por conta de casos no interior do estado e que, no mesmo período, houve queda nos números na capital.
Tocantins: A Secretaria da Segurança Pública do Tocantins diz que em junho foi registrada uma redução de 31,41% nos índices de CVLI, “o que representa uma estabilização nos índices destes tipos criminais no primeiro semestre, sendo buscado por estratégias de integração entre as forças de segurança locais, conforme preconizado no Plano Estadual de Segurança Pública e Defesa Social (PESSE)”. Segundo a pasta, trata-se de um enfrentamento sistemático e organizado da criminalidade visando a sua efetiva redução. “A SSP-TO tem realizado estudos e mapeamento dos locais e causas deste tipo de violência no estado, marcado, em especial, por ações típicas de execução de grupos criminosos, instituindo uma Diretoria de Combate ao Crime Organizado (DRACCO) para o fortalecimento das ações de prevenção e repressão, além da intensificação das operações integradas, tanto no âmbito de investigações qualificadas como no aumento do policiamento ostensivo, nos casos em que isso se releve a medida mais adequada.”
Roraima: A Secretaria de Segurança Pública de Roraima não informa o motivo para o aumento da violência e diz ainda que o setor de estatística vai rever os dados de violência do estado.

Tendência de queda

Para entender o que pode estar por trás da tendência de queda, o G1 foi a fundo nos cenários de segurança pública de três estados que se destacaram por suas reduções desde 2018: Acre, Ceará e Rio Grande do Norte. Especialistas, integrantes e ex-integrantes dos governos e entidades foram consultados para levantar as principais medidas tomadas nos estados que podem ter resultado na queda da violência.
Entre as medidas adotadas estão:
  • ações mais rígidas em prisões, como constantes operações de revistas e implantação do Regime Disciplinar Diferenciado (RDD)
  • isolamento ou transferência de chefes de grupos criminosos para presídios de segurança máxima
  • criação de secretaria exclusiva para lidar com a administração penitenciária
  • criação de delegacia voltada à investigação de casos de homicídios
  • integração entre as forças de segurança e justiça

Como o levantamento é feito

A ferramenta criada pelo G1 permite o acompanhamento dos dados de vítimas de crimes violentos mês a mês no país. Estão contabilizadas as vítimas de homicídios dolosos (incluindo os feminicídios), latrocínios e lesões corporais seguidas de morte. Juntos, estes casos compõem os chamados crimes violentos letais e intencionais. Jornalistas do G1 espalhados pelo país solicitam os dados, via assessoria de imprensa e via Lei de Acesso à Informação, seguindo o padrão metodológico utilizado pelo fórum no Anuário Brasileiro de Segurança Pública. Em março, o governo federal anunciou a criação de um sistema similar. Os dados, no entanto, não estão atualizados como os da ferramenta do G1. O último mês disponível é fevereirode 2019 (e não há números de todos os estados). Os dados coletados mês a mês pelo G1 não incluem as mortes em decorrência de intervenção policial. Isso porque é mais difícil obter números em tempo real e de forma sistemática com os governos estaduais. O balanço de 2018 foi publicado pelo Monitor da Violência separadamente, em abril.
As mortes violentas mês a mês no país: G1 monitora todos os dados de homicídio, latrocínio e lesão corporal seguida de morte — Foto: Reprodução/G1
As mortes violentas mês a mês no país: G1 monitora todos os dados de homicídio, latrocínio e lesão corporal seguida de morte — Foto: Reprodução/G1

Levantamento mostra que 54% dos brasileiros têm HPV

-Foto: g-stockstudio/Thinkstock/Getty Images
Foto: g-stockstudio/Thinkstock/Getty Images
O papilomavírus humano, o famoso HPV, pode nunca ter aparecido nas conversas com suas amigas ou na sua timeline, mas ele está mais próximo do que você imagina. Segundo uma pesquisa conduzida pelo Ministério da Saúde junto com o Hospital Moinhos de Vento de Porto Alegre (RS), divulgada nesta segunda-feira (27), 54,6% dos brasileiros têm o agente infeccioso. O que isso significa? Que milhões de pessoas estão sujeitas a sofrer com esse vírus que é o principal causador do câncer de colo de útero nas mulheres e de tumores no pênis na ala masculina. Aliás, de acordo com o novo levantamento, entre os que carregam o HPV, 38,4% apresentam tipos considerados de alto risco para câncer. Embora a vacina seja a principal forma de se proteger contra o papilomavírus, a camisinha também é importante. E, no estudo do Ministério da Saúde, somente metade dos voluntários (51,5%) disse que costuma usar preservativo. Hábitos que predispõem à infecção, como ter múltiplos parceiros, foi identificado em 83,4% dos entrevistados.

Tá tudo dominado

A seguir, confira a prevalência de infecção por HPV nas cidades avaliadas:
1. Salvador (BA): 71,9%
2. Palmas (TO): 61,8%
3. Cuiabá (MT): 61,5%
4. Macapá (AM): 61,3%
5. São Luís (MA): 59,1%
6. Porto Alegre (RS): 57,1%
7. Rio Branco (AC): 55,9%
8. Vitória (ES): 55,1%
9. Aracaju (SE): 54,6%
10. Rio de Janeiro (RJ): 54,5%
11.  Teresina (PI): 54,3%
12. Goiânia (GO): 54,1%
13. Fortaleza (CE): 53,4%
14.  Porto Velho (RO): 52,9%
15. Natal (RN): 52,9%
16. São Paulo (SP): 52%
17. Boa Vista (RR): 51%
18. Belém (PA): 50,8%
19. Manaus (AM): 50,3%
20. Curitiba (PR): 48%
21. João Pessoa (PB): 45,6%
22. Maceió (AL): 45,1%
23. Florianópolis (SC): 44%
24. Recife (PE): 41,2%
Em Brasília (DF), Campo Grande (MS) e Belo Horizonte (MG) não foram coletados dados suficientes para estabelecer a prevalência.
Participaram da pesquisa 5.812 mulheres e 1.774 homens de 27 cidades brasileiras e com uma média de idade de 20,6 anos. A maioria declarou estar em um relacionamento estável, sendo que 41,9% estão namorando e 33,1%, casados. (Boa Forma)

Redução da pensão por morte é desafio para mulheres da terceira idade

-Foto: Divulgação
Foto: Divulgação
“Aprendam a fazer o bem, busquem o direito, socorram o oprimido, façam justiça ao órfão, defendam a causa da viúva.” Foram muitos os deputados, favoráveis e contrários à reforma da Previdência, que recorreram à citação do Livro de Isaías para defender regras menos rígidas na concessão de pensões por morte ao votar na quinta-feira (11) destaques ao texto principal, aprovado na véspera em primeiro turno na Câmara. A preocupação se justifica. As mulheres (viúvas ou órfãs) representam 83% dos que recebem pensão por morte do INSS, segundo o Anuário Estatístico da Previdência. Um dos pontos mais polêmicos da reforma da Previdência do presidente Jair Bolsonaro são as alterações nas regras de pensões por morte. O pagamento para o principal beneficiário será de 60% do valor original da aposentadoria do INSS, mais 10% por dependente adicional.
O viúvo ou a viúva com dois filhos, por exemplo, receberá 80% do benefício que era pago a quem morreu. Hoje, o valor corresponde a 100% do benefício, independentemente do número de pessoas na família. Com a nova regra, o pensionista poderá receber menos de um salário mínimo, algo que não ocorre hoje. Na prática, o piso da pensão será de R$ 598,80 no INSS. Na quinta, os congressistas fizeram uma alteração para permitir que a pensão não seja menor que o salário mínimo (R$ 998) se for a única renda do dependente principal -independentemente da dos demais membros da família. Essa alteração teve o apoio da bancada evangélica, que se juntou a partidos de esquerda nas 95 citações às viúvas, 25 aos órfãos e 10 à Bíblia feitas durante a votação. A oposição, na verdade, tentou manter as regras atuais, mas foi derrotada.
As pensões por morte previdenciárias representaram um quarto dos benefícios concedidos no regime geral. O governo estima uma economia em torno de R$ 130 bilhões em dez anos com as mudanças, quase 15% do impacto total da reforma. Como a Câmara irá votar a proposta em 2º turno em agosto e a reforma também precisa do aval do Senado, as regras podem mudar. Além disso, para especialistas em direito previdenciário, a questão será judicializada. Diego Cherulli, diretor do IBDP (Instituto Brasileiro de Direito Previdenciário), afirma que, em muitos casos, mesmo com um filho completando 21 anos, as despesas da família continuam as mesmas. Por isso, afirma que seria mais justo que pelo menos uma parte da cota desse dependente fosse revertida para outros familiares. “O salário mínimo é o mínimo existencial para o núcleo familiar. A pensão também é um benefício substituidor de renda. Sendo aprovado, provavelmente virão ações de inconstitucionalidade”, afirma.
“Um benefício abaixo do salário mínimo viola um direito fundamental. É um tema para o Judiciário. A pessoa não vai ter uma Previdência mínima, que foi o que o segurado custeou”, diz João Badari, especialista em direito previdenciário e sócio da Aith, Badari e Luchin Advogados. Ele cita como positiva a exceção criada para pessoas com deficiência ou incapacidade, que receberão o valor integral. O advogado afirma que outro aspecto negativo é que foram mantidas regras diferenciadas para servidores públicos, o que contraria o discurso do governo de que a reforma acaba com privilégios. Não se alterou, por exemplo, a regra de pensões de servidores estaduais e municipais. Além disso, há benefícios para funcionários federais. No setor público federal, o valor médio do benefício é de R$ 5.195 no Poder Executivo e chega a uma média de R$ 21.167 no Legislativo. No regime geral, é de R$ 1.687. Embora mantenha a mesma regra do INSS que permite receber menos de 100% do benefício original, o novo texto da reforma excluiu o desconto de 30% da parcela que excede o teto do RGPS (R$ 5.839,45) para o servidor.  Além disso, sobre acúmulo de benefícios, como pensão e aposentadoria, o relator criou uma nova faixa na tabela progressiva, de 10% do valor que exceder quatro salários mínimos (R$ 3.992,00).
“Sobrou quase tudo para o regime geral”, afirma Badari ao apontar os trabalhadores do setor privado como os mais afetados pelas mudanças. “É uma reforma que está criando privilégios.” As mudanças que a reforma da Previdência pode trazer para o pagamento de pensões por morte, caso confirmadas, ampliam a necessidade de que famílias mantenham reservas financeiras para adversidades e avaliem a contratação de planos de previdência ou seguros de vida. A proposta reduz o pagamento para dependentes de segurado aposentado ou de contribuinte que ainda está na ativa. Letícia Camargo, da Planejar (associação de planejadores financeiros), diz que tratar de temas como morte e herança é tabu quando se fala em finanças, mas o assunto ganha importância com as mudanças nas regras da Previdência. Ela recomenda que as famílias estudem seus gastos mensais e tenham uma reserva para o caso de morte do principal provedor. Ela destaca que, para começar a guardar dinheiro, talvez seja necessária uma adaptação no padrão de gastos. Annalisa Dal Zotto, planejadora financeira e sócia da Par Mais, diz que, no caso em que a família depende de uma só pessoa, é importante avaliar a contratação de um seguro de vida que dê fôlego para que ela se reestruture financeiramente no caso de morte. Para a definição do produto, Dal Zotto sugere que se estude qual o gasto mensal da família e defina o prazo em que seria desejável ter uma renda para a reestruturação dela no novo cenário.
Ricardo Humberto Rocha, professor de finanças no Insper, vê a possibilidade do crescimento da venda de seguros como resultado das mudanças na Previdência. Em sua avaliação, esse é um produto que sofre resistência no Brasil, mesmo nas classes mais altas. A maior adoção dele poderia diminuir o preço de contratação.
“No Brasil, o seguro é caro, porque um número enorme de pessoas que poderiam ter não contratam, acham que as coisas só podem acontecer com o vizinho”, diz. Outra opção sugerida pelo professor é um plano de previdência privada que tenha o benefício do pecúlio, um pagamento em parcela única aos beneficiários definidos por quem contrata o plano. A planejadora Dal Zotto também recomenda que o cônjuge que não trabalha contribua para a Previdência Social mensalmente, pois sua aposentadoria passará a ser mais importante para compor a renda familiar. Como a pensão é paga por prazo determinado, de acordo com a idade de quem recebe, em muitas situações será preciso que quem estava fora do mercado busque oportunidades de trabalho.Ricardo Basaglia, diretor-executivo da empresa de recrutamento Michael Page, sugere que a pessoa que busca colocação não olhe como possibilidade apenas o mercado tradicional. “Existem cada vez mais possibilidades de trabalhar por projetos, encontrar oportunidades temporárias ou vender seu trabalho pela internet”, diz.
Em sua avaliação, a maior preocupação de uma empresa quando se depara com um candidato que ficou muito tempo sem trabalhar é entender o motivo de ele ter tomado essa decisão e se há risco de o comprometimento com o emprego ser de curto prazo. Um trunfo para quem busca uma vaga, avalia o especialista, é demonstrar que procurou durante o período em que esteve sem emprego, inclusive em atividades gratuitas online, e ter realizado projetos pessoais, mesmo que não estejam diretamente relacionados a trabalho.

Mulher que empurrou padre Marcelo Rossi disse que queria conversar com ele

-
Foto : Reprodução / YouTube
A mulher que empurrou o padre Marcelo Rossi em uma missa em Cachoeira Paulista, em São Paulo, ontem (14), disse que o ocorrido foi algo entre ela e o religioso. “Entre eu e ele, entre eu e ele”, comentou na saída da delegacia onde prestou depoimento, em Lorena (SP). Segundo o portal Uol, após a declaração, ela entrou em um carro da Canção Nova, instituição organizadora da missa, e foi levada de volta à cidade do evento.
De acordo com o delegado Daniel Castro, responsável pelo registro da ocorrência, a mulher, que teve o nome preservado, afirmou que se aproximou com a intenção de conversar com o padre, e não de agredi-lo. Ela disse sofrer de transtorno bipolar e fazer tratamento psiquiátrico.
“Ela falou que queria entrar para conversar com ele e que se assustou na hora que viu os seguranças correndo atrás dela. É a versão dela, mas quem vê as imagens vê que não tem nada disso [seguranças correndo atrás dela]. Ela entrou correndo, se assustou e empurrou ele num momento em que meio que surtou, perdeu o controle, mas que não tinha intenção nenhuma, que queria só conversar com ele”, afirmou o delegado.
Como a mulher estava na excursão com um filho de três anos de idade, uma representante do Conselho Tutelar de Cachoeira Paulista também foi à delegacia. De acordo com Maria Cristiane Batista, o menor está sob responsabilidade de outra conselheira em uma pousada em Cachoeira Paulista.
A Polícia Civil afirmou que, caso o padre Marcelo Rossi não apresente queixa contra a mulher em até seis meses, o caso será arquivado. Inicialmente, o religioso afirmou que não irá registrar a ocorrência. Com isso, a mulher vai permanecer em liberdade. (Metro 1)

quinta-feira, 11 de julho de 2019

Reforma da Previdência: Saiba como votaram os deputados baianos no 1º turno

por Matheus Caldas / Jade Coelho
Reforma da Previdência: Saiba como votaram os deputados baianos no 1º turno
Foto: Michel Jesus / Câmara dos Deputados
O texto-base da reforma da Previdência foi aprovado em primeiro turno nesta quarta-feira (10) pela Câmara dos Deputados. O único deputado federal baiano a não comparecer foi João Carlos Bacelar (Podemos). Ao todo, 13 parlamentares do estado foram contrários, e outros 25 votaram a favor. Os dados foram colhidos pelo G1.

Alex Santana (PDT) contrariou a recomendação do seu partido e votou a favor da reforma. Nesta quarta, o presidente da legenda no estado, Félix Mendonça Jr., afirmou não ser favorável a expulsões aos membros do PDT que votassem diferente do recomendado. Segundo o jornal Estado de S. Paulo, em reunião realizada nesta terça-feira (9), com a bancada do PDT na Câmara, o presidente do partido, Carlos Lupi, disse que quem apoiar as mudanças na aposentadoria propostas pelo governo de Jair Bolsonaro (PSL) será punido com o desligamento. Félix negou. "Não tem essa ameaça", garantiu (leia mais aqui).

Os parlamentares da Bahia que afirmaram ainda estar indecisos até a véspera da votação acabaram todos decidindo apoiar o texto, são eles Alex Santana (PDT), João Carlos Bacelar (PL), Márcio Marinho (PRB) e Uldurico Júnior (Pros) (leia mais aqui).

VOTARAM A FAVOR DO TEXTO:
Abílio Santana (PL)
Adolfo Viana (PSDB)
Alex Santana (PDT)
Antonio Brito (PSD)
Arthur Maia (DEM)
Cacá Leão (PP)
Charles Fernandes (PSD)
Claudio Cajado (PP)
Elmar Nascimento (DEM)
Igor Kannário (PHS)
João Carlos Bacelar (PL)
João Roma (PRB)
José Nunes (PSD)
José Rocha (PL)
Leu Lomanto Júnior (DEM)
Márcio Marinho (PRB)
Otto Alencar Filho (PSD)
Pastor Sargento Isidório (Avante)
Paulo Azi (DEM)
Paulo Magaçhães (PSD)
Professora Dayane Pimentel (PSL)
Raimundo Costa (PP)
Ronaldo Carletto (PP)
Tito (Avante)
Uldurico Junior (Pros)

VOTARAM CONTRÁRIOS AO TEXTO:
Afonso Florence (PT)
Alice Portugal (PCdoB)
Daniel Almeida (PCdoB)
Félix Mendonça Júnior (PDT)
Jorge Solla (PT)
Joseildo Ramos (PT)
Lídice da Mata (PSB)
Marcelo Nilo (PSB)
Mário Negromonte Jr.(PP)
Nelson Pelegrino (PT)
Valmir Assunção (PT)
Waldenor Pereira (PT)
Zé Neto (PT)

São Felipe BA: Representantes da APLB-Sindicato se reúnem com representantes do Poder Executivo Municipal


                         


       A APLB-Sindicato núcleo de São Felipe, foi convocada no ultimo dia 01 de julho de 2019, através do Ofício Gab. nº 340/2019, da lavra do secretário municipal de educação, para uma reunião com o Poder Executivo em 08/07, às 9h, na sede da prefeitura.
De acordo com informações da APLB Núcleo São Felipe, a reunião iniciou às 10h20min com o término às 13h15min, estavam presentes a diretoria da APLB-Sindicato de São Felipe, professor Carlos Augusto (diretor da Delegacia Sindical do Planalto- APLB-Sindicato de Cruz das Almas), Dr. Felipe Henrique (assessor jurídico da APLB, representando o escritório Gomes & Gomes). Da parte do Executivo estavam os secretários de educação (Sílvio Ricardo Conceição) e administração (Álvaro Neiva), a assessoria contábil, os advogados Dr. Tadeu e Dra. Fernanda, Cláudia Maria Batista de Araújo Silva (Diretora de Recursos Humanos) e o professor Reginaldo Oliveira de Jesus.
Ainda segundo essas informações da APLB, para essa reunião, a entidade convidou também alguns professores para estarem presentes, mas estes não puderam comparecer. “Salienta-se que mais uma vez o prefeito esteve ausente da reunião”, destacou um representante do Núcleo local .
Na reunião, discutiram-se várias demandas da categoria como reajuste salarial, retiradas de direitos dos professores, precatórios do FUNDEF, mudança de nível, concessão de licença-prêmio, dentre outros assuntos.

Os representantes do Poder Executivo e os seus respectivos assessores presentes foram taxativos quantos aos pleitos da categoria no sentido de não os atender, alegando uma série de impedimentos técnicos, jurídicos e financeiros. Por exemplo, no tocante aos precatórios, os secretários ratificaram, consoante posição das assessorias contábil e jurídica, que não poderiam proceder com o rateio dos precatórios, pois o prefeito recebeu notificações dos Ministérios Público e Federal bem como do TCU no qual demonstrava uma proibição para qualquer forma de pagamento para os professores. Além disso, há em curso na Comarca de São Felipe um processo judicial sobre os supracitados precatórios, com valores bloqueados em conta judicial, aguardando a decisão do mérito.
Sobre o reajuste salarial de 2019, conforme percentual do reajuste de 4,17% do PSPN, os secretários de educação e administração, seguindo orientações das assessórias contábil e jurídica, asseveraram que não há como conceder qualquer percentual para o reajuste salarial, pois, conforme afirmaram, “não tem dinheiro em caixa e o índice de pessoal continua elevado”. Foram também enfáticos em afirmar que diante do quadro ora mencionado não há lastro para proporcionar os almejados reajustes para o corrente ano. Nesse quesito, a APLB-Sindicato rebateu veementemente a posição da prefeitura, lembrando que já houve alguns cortes para ajustar a folha de pagamento e que não justificava o índice ainda continuar elevado. A diretoria sindical também argumentou que a previsão para o FUNDEB de São Felipe prevê uma estimativa maior para este ano quando comparado com o ano anterior. Outro ponto destacado pela APLB, se assenta no fato de o município ter implantado agora em 2019 a Reserva Técnica de carga Horária, conforme prevê a Lei Federal 11.738 (Lei do Piso). Isso é, sem dúvida, um vetor de economia para os cofres da prefeitura, com significativa redução de custo. Tencionamos sobre a diferença do reajuste do Piso do ano passado que deixou de ser paga aos trabalhadores em educação e, de igual forma, os secretários disseram-nos que há uma evidente impossibilidade de concedê-la.

Na sequência dos embates, eles alegaram que era imperiosa a revisão do Plano de Cargos e Salários para ajustar as contas e possibilitar um possível reajuste dos salários e concessão de mudanças de níveis dos professores conforme assegura a Lei Municipal 704/2011.Essa reformulação que o município propõe, na visão que eles pretendem implantar, só vai acarretar um retrocesso financeira para os trabalhadores e um consequente declínio na qualidade da educação da nossa rede municipal, alegou a diretoria da APLB.

Na sequência, informaram-nos que já tem uma minuta pronta do Plano de Carreira e que será apresentada ainda nesta semana para ser discutida com Comissão e a APLB junto com a categoria.
A diretoria da APLB de São Felipe e nosso representante jurídico rebateram os discursos apresentados pelo Poder Executivo, pontuando que não poderíamos verificar a veracidade dos dados técnicos delineados na reunião, haja vista a inércia da prefeitura em fornecer a folha analítica dos servidores municipais para que pudéssemos também analisar tais informações. Nesse contexto, frisamos abundantemente que o município foi cobrado por diversas vezes pela APLB para fornecer os referidos documentos (folha analítica), mas até o momento esse pleito não havia sido atendido. Diante disso, o secretário de administração assegurou que até o dia 12/07/2019 liberará a documentação completa.

A APLB-Sindicato afirmou na reunião que se a prefeitura não apresentar a folha analítica para as possíveis análises, ficaria inviável tecer uma discussão e construir uma análise desse novo plano de carreira com categoria. A APLB salientou que não compreende o motivo de tanto morosidade em fornecer a referida folha. Isso dá margem para diversas interpretações, incluindo aí possibilidade de existir alguma inconsistência nos dados reais da prefeitura. Ainda sobre a questão da construção de um novo plano de carreira para o magistério de São Felipe, a APLB assentou-se no discurso de que essa proposta partiu exclusivamente do Poder Executivo, pois a categoria não demonstrou e/ou não tem interesse na revisão de plano.  Ou seja, isso é uma proposta da gestão municipal com o intuito de reduzir os gastos com pessoal, retroceder nos avanços e na valorização dos profissionais da educação.
A diretoria da APLB-Sindicato de São Felipe afirmou na reunião que o município não apresentou nenhuma proposta no sentido de atender às demandas da categoria e que tudo o que foi apresentado pela gestão municipal só convergirá para a desvalorização dos profissionais e um consequente declínio na qualidade da educação que foi conquistado a partir da implantação da Lei Federal de 11.738/2008. Foi dito pela APLB que as mudanças e os cortes promovidos pela prefeitura de São Felipe contribuem de forma muito negativa para os avanços educacionais pretendidos para o povo de São Felipe.

Padre Sergio deixará o Brasil para assumir missão na França


Arquivo: Tribuna do Recôncavo
O Padre Sergio Braga, natural da cidade de Cravolândia, que foi pároco das paróquias São José do Andaiá em Santo Antônio de Jesus, e Sagrado Coração de Jesus em Iaçu, e que assumiu a Paróquia Senhor do Bonfim em Jiquiriça em fevereiro do ano em curso, deixará o Brasil em breve.
Padre Sergio recebeu a notícia nesta quarta-feira (10/07), que foi eleito o segundo conselheiro do Conselho Internacional dos Padres do Prado, e por este motivo, a partir do mês de setembro ele passará a morar em Lyon, na França.
O comunicado oficial aos seus paroquianos em Jiquiriçá, será feito pelo Padre Sergio na missa dominical do próximo domingo, dia 14.
Fonte: Tribuna do Recôncavo

quarta-feira, 10 de julho de 2019

Governador anuncia 461 novas convocações para o Partiu Estágio


Foto: Fernando Vivas/GOVBA

O governador Rui Costa anunciou no programa Papo Correria desta terça-feira (9) a convocação de 461 estudantes para o Partiu Estágio. Serão convocados 408 estudantes para o edital de número 1 (lançado em janeiro deste ano) e 53 estudantes para o edital de número 2 do programa, publicado em março para reforço escolar na rede estadual de ensino. A convocação será feita nesta quinta-feira (11), através de envio de e-mail e SMS para os selecionados. Eles terão dez dias úteis a partir da data de convocação para apresentar a documentação exigida. A lista com os nomes dos selecionados também estará disponível para visualização na quinta, no site da Secretaria da Administração (Saeb). 
Sobre o programa
O Partiu Estágio é uma iniciativa da administração estadual baiana que garante acesso a oportunidades de estágio a estudantes universitários de instituições estaduais, federais e privadas com sede na Bahia, e que ainda não conseguiram se inserir no mercado de trabalho.
A seleção é prioritária para estudantes inscritos no Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚnico) e para aqueles que tenham estudado todo o ensino médio em escola pública ou com bolsa integral na rede privada. Desde seu lançamento, em abril de 2017, já foram contratados 9.145 universitários para atuar no serviço público baiano.
Por Redação Mídia Recôncavo

Vitória perde para o Cuiabá no Barradão e segue na lanterna da Série B


Foto: Ascom/ EC Vitória
Prejudicado pela arbitragem do maranhense José Henrique de Azevedo Júnior, que ignorou o pênalti sofrido por Anselmo Ramon quando o placar estava 0 a 0, o Vitória recomeçou o Brasileiro da Série B com uma derrota para o Cuiabá (MT), por 1 a 0, na noite desta terça-feira (9), no Estádio Barradão. Com o resultado, o time segue na lanterna do certame nacional com apenas quatro pontos.
O Rubro-Negro sofreu o gol na cobrança de escanteio, marcado pelo zagueiro Anderson Conceição, que subiu livre e cabeceou sem chances para o estreante goleiro uruguaio Martín Rodriguez , o volante Baraka e o lateral meia Chiquinho também estrearam.
O Vitória tentou a todo custo alcançar pelo menos o empate, mas esbarrou na marcação do adversário, que interrompeu muitos lances com faltas e o árbitro não tomou providências para coibir o antijogo. O próximo compromisso do clube será contra o Criciúma-SC, dia 19, no Barradão, às 21h30.
ASCOM-EC Vitória

Morre aos 76 anos Paulo Henrique Amorim


Foto: Reprodução/ Record
O jornalista Paulo Henrique Amorim morreu, na madrugada desta quarta-feira (10), aos 76 anos, deixando um legado enorme para a comunicação brasileira. Amorim estava em casa, no Rio de Janeiro, quando sofreu um infarto fulminante.
Com passagens pela Rede Globo, Paulo foi afastado recentemente pela RecordTV, após 14 anos ininterruptos no ar no comando do “Domingo Espetacular”. Conhecido pelo posicionamento de esquerda, ele sofria pressão na emissora desde o acirramento da polarização política no Brasil em 2014. Nos últimos tempos ele foi um crítico ferrenho do governo Bolsonaro e do ministro da Justiça Sergio Moro.
Paulo Henrique Amorim nasceu no dia 22 de fevereiro de 1942 no Rio de Janeiro, e ingressou no jornalismo ainda em 1961. Foi correspondente internacional e trabalhou por vários anos em Nova York nos Estados Unidos.

Instagram cria ferramenta para combater assédio online


Foto: Pixabay
O Instagram revelou que criou uma nova funcionalidade para a sua rede social que está sendo vista como uma potencial solução para casos de assédio e ‘bullying’ no espaço digital. Basicamente, a nova opção permitirá ao dono de uma conta ‘banir’ pessoas sem que elas saibam.
Se tiver uma pessoa adicionada que por algum motivo ela tenha se tornado indesejável, o Instagram dará a opção de restringir esta conta. Apesar de ainda conseguir fazer comentários, apenas quem postou será capaz de os ver o que eliminará a toxicidade das publicações.
Esta capacidade de restringir contas também as impedirá de ver quando estiver online ou quando tiver lido algumas das suas mensagens. Esta funcionalidade está ainda em fase de testes mas já é vista como uma potencial solução para minimizar os casos de assédio na plataforma.
Redação: Noticias ao Minuto | Fonte: The Verge

São Felipe: Homem é encontrado morto dentro de casa


Foto: Arquivo Pessoal
Um homem foi encontrado morto na cidade de São Felipe, no Recôncavo baiano, na manhã desta quarta-feira, dia 10. Mário Cezar Lima Valverde, tinha 45 anos e foi encontrado enforcado dentro de sua residência, localizada no loteamento Campo Azul.
Segundo a Polícia Militar, o fato aconteceu por volta das 8h30. Durante toda manhã a casa permaneceu fechada, evitando que curiosos tivessem acesso ao local. O corpo foi removido pela equipe do DPT para o Instituto Médico Legal, em Santo Antônio de Jesus, para ser necropsiado.
 Informações: Beni Comunicação

Secretaria de Agricultura de São Felipe participa de encontro para o planejamento de gestão das águas do Recôncavo Sul

   Na última segunda-feira (08/07) aconteceu em Santo Antônio de Jesus a reunião para tratar do Plano de Recursos Hídricos e Bacias Hidrográficas do Recôncavo Sul e enquadramento de rios da região. Representantes da Secretaria de Agricultura, a Agrônoma Rosane Santana e a coordenadora de Agricultura Jocinéia Borges, estiveram presentes, dialogando junto a representantes do INEMA, Consórcio Águas da Bahia, e de outros municípios, no intuito de incluir os rios de São Felipe no Plano de ação e realizar um encontro no município para discutir as condições ambientais locais.
Fonte; ASCOM

São Felipe: Secretário de Administração Álvaro Neiva e a Secretária de Saude Laurijane, falam da viagem para Brasília


Secretário de Administração Álvaro Neiva e a Secretária de Saúde Laurijane de São Felipe falam na coletiva de imprensa realizada nesta segunda-feira (08/07), sobre participações no XXXV Congresso Nacional de Secretarias Municipais de Saúde*. O evento promove o encontro de mais de 5 mil congressistas – dentre eles, gestores municipais de saúde, trabalhadores do SUS, e de todas as esferas de governo, representantes de instituições ligadas à saúde pública e autoridades.

terça-feira, 9 de julho de 2019

Governo libera emendas para salvador e 164 municípios baianos entre eles São Felipe e Itatim

As emendas parlamentares liberadas pelo governo federal para a área de saúde, às vésperas da votação da reforma da Previdência, beneficiam 165 municípios baianos que receberão um total aproximado de R$ 110,2 milhões. Todos os valores foram destinados aos fundos municipais de saúde, de acordo com as portarias publicadas em edição extra do Diário Oficial da União, nesta segunda-feira (08/julho).

Salvador e mais sete municípios (Barreiras, Filadélfia, Itatim, Morro do Chapéu, Pindobaçu, São Felipe e Tucano) receberão emendas para complementar despesas com atenção básica e procedimentos de média e alta complexidade. Boa parte das demais prefeituras será beneficiada apenas com valores para atenção básica.

A capital baiana terá um total de R$ 6,5 milhões em emendas à disposição, segundo as portarias nº 1.603 e 1.686, assinadas pelo ministro Luiz Henrique Mandetta. Já a cidade de Juazeiro, no norte do estado, será beneficiada com R$ 5 milhões.

Algumas cidades, como Acajutiba, Barro Alto, Cícero Dantas, Conceição da Feira, Jandaíra e Remanso, foram duplamente contempladas. O município de Remanso receberá, inclusive, um dos maiores valores em emendas entre as cidades do interior, sendo beneficiado com um total de R$ 2,47 milhões.

A Câmara dos Deputados começa a examinar hoje a reforma da Previdência. De acordo com calendário do governo bolsonarista, a matéria pode passar nos dois turnos ainda essa semana na Casa. A oposição, no entanto, alega que a situação não tem os votos suficientes.

Com informações e levantamento do Metro1