segunda-feira, 18 de setembro de 2017

Relação entre uso de maconha e esquizofrenia é comprovado; estudo aponta tratamento

O desenvolvimento de de doenças psiquiátricas, como esquizofrenia, é frequentemente associado ao uso de maconha durante a adolescência. No entanto, não havia maiores respostas científicas sobre a associação. Pesquisadores Universidade de Western Ontário, no Canadá, descobriram o gatilho para a doença e um possível tratamento.

"O que é importante sobre este estudo é que não apenas identificamos o mecanismo específico no córtex pré-frontal de alguns dos riscos de saúde mental associados com o uso da maconha na adolescência, mas também identificamos um mecanismo para reverter esses riscos", afirmou Steven Laviolette, professor na faculdade de Medicina da Western e coautor do estudo.

Os resultados mostraram que a exposição ao Tetraidrocanabinol modula a atividade do neurotransmissor conhecido como GABA na região do córtex pré-frontal do cérebro. "O GABA é um neurotransmissor inibidor e desempenha papel crucial na regulação da atividade excitatória no córtex pré-frontal, então, se você tem menos GABA, o seu sistema neuronal se torna hiperativo, levando a mudanças de comportamento consistentes com a esquizofrenia", explicou a pesquisadora Justine Renard.

Quando há exposição ao THC durante a adolescência, os neurônios na vida adulta se tornem hiperativos e não atuem em sincronia. Esse estado no sistema dopaminérgico é geralmente associado à esquizofrenia. Durante a pesquisa, foram usados medicamentos para ativar o neurotransmissor em ratos com esquizofrenia, o que foi capaz de reverter os sintomas.

"Isso significa que se você for usar a maconha, de forma recreativa ou medicinal, você pode combiná-la com compostos que impulsionem o GABA para bloquear os efeitos negativos do THC", pontuou Laviolette segundo informações do jornal O Globo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário