Parto normal de gêmeos é possível e mais indicado, diz especialista



Agravidez de gêmeos sempre chamou atenção das pessoas por ser incomum. Mas hoje essa realidade mudou. Dados da Pesquisa de Registro Civil do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostram que em 2011 nasceram 52.920 gêmeos, já em 2015 foram 58.837, um aumento de mais de 11% de partos gemelares nesse período. Para a obstetra da Maternidade Brasília, Dra. Fernanda Torino, esse acréscimo se deve ao maior número de processos de reprodução assistida. “Hoje, as mulheres engravidam mais tarde o que dificulta a gravidez espontânea. Por isso, muitas recorrem à fertilização e isso aumenta a possibilidade de gestações múltiplas ”, explica.Esse cenário também desperta um questionamento: para grávidas de gêmeos o parto é sempre a cesariana? Segundo a Dra. Fernanda isso não é verdade. “O parto vaginal é sempre a melhor opção quando está tudo bem com a mãe e com o bebê. A cesárea é necessária quando há complicadores. Então, o parto normal deve ser estimulado, mas não pode ser a todo custo. Muitas vezes a cesariana é a opção mais segura”, esclarece. A tentativa do parto normal depende de muitos fatores e requer mais cuidados. “Na gestação gemelar há um risco maior de prematuridade. Na maioria das vezes os bebês não estão em posição adequada de nascimento. Já em 40% dos casos os dois estão cefálicos (com a cabeça para baixo), o que seria o ideal para um parto vaginal. Precisamos avaliar cada situação em particular”, afirma a Dra. Fernanda.
Entre os benefícios do parto normal estão: a recuperação materna mais rápida e menos dolorosa; rápida descida do leite; preparação do pulmão e estímulo do sistema imunológico e intestinal dos bebês.
Cuidados especiais: A gravidez de múltiplos apresenta mais riscos para as mães e os bebês e, por isso, ocorre o encaminhamento para o pré-natal de alto risco. “A grávida de gêmeos, sejam eles idênticos ou não, tem consultas médicas com maior frequência, faz mais exames e precisa de um acompanhamento especial, pois tem maior possibilidade de ter pressão alta, doença hipertensiva da gestação e diabete gestacional”, enfatiza Torino. A especialista reforça ainda que toda gravidez precisa de um acompanhamento médico, mas na de gêmeos a possibilidade de intercorrências é maior. “A mãe precisa evitar ao máximo esforços físicos, ter uma alimentação saudável e estar preparada caso os bebês venham antes do tempo, que é o mais provável”, alerta a especialista. (Notícias ao Minuto)

Comentários