quarta-feira, 27 de fevereiro de 2019

Conheça a primeira brasileira com síndrome de Down a se formar em Fisioterapia

Conheça a primeira brasileira com síndrome de Down a se formar em Fisioterapia
 Foto: Reprodução / Marcos Demeneghi
“Escolhi a fisioterapia porque amo as crianças e idosos, me identifico muito com cadeirantes, pessoas com síndromes, autistas e percebo que tenho a missão de tratar a saúde de todas as pessoas de uma maneira global”. Assim começa a discursar Luana Dallacorte de Moura, de 24 anos, jovem com síndrome de Down que se formou em fisioterapia pela Faculdade CNEC. Luana diz que deseja como fisioterapeuta manter um diálogo honesto e correto com a família dos pacientes especiais que atenderá, além de deixar de lado os velhos tabus de comunicação ao fazer um diagnóstico ou propor novos tratamentos. “Não tenho nenhum preconceito de falar”, afirma com convicção. “Meu trabalho de conclusão de curso focou no tratamento dos meus futuros pacientes”, conta Luana, ao comentar sobre seu TCC.
A jovem pensa em atuar na teoria e prática da “Gameterapia”, tratamento que consiste na utilização de videogames em sessões fisioterapêuticas, ortopédicas e neurológicas que, além de humanizar o tratamento muitas vezes doloroso e exaustivo, possibilita interatividade e acessibilidade para pacientes com deficiência. Considerado inovador e recebido com louvor pelos professores, o tema do TCC era “O tratamento de gameterapia nos portadores de paralisia cerebral”. Luana conta que as pessoas com dificuldade de locomoção precisam ser incentivadas a mudar certos paradigmas mentais; por isso, ela considera fundamental exercitar o cérebro com ferramentas virtuais, como os jogos. Além disso, ela entende que muitos pacientes são limitados psicologicamente pelo medo, que os impedem de progredir. “Um cadeirante, por exemplo, pode sentir medo de caminhar,” afirma. Desta forma, o uso da “gameterapia” pode potencializar as terapias físicas de pessoas com deficiência física. (Razões para Acreditar/Fonte: JOM)

0 comentários:

Postar um comentário