quinta-feira, 26 de setembro de 2019

Bahia vence o Botafogo e fica a um ponto da zona da Libertadores

-
Artur fez o primeiro gol e deu o passe para o segundo (Felipe Oliveira / EC Bahia)
O Bahia voltou a vencer na Série A. Após dois resultados ruins, o tricolor bateu nesta quarta-feira (25) o Botafogo na Fonte Nova por 2×0 e encostou no G6, a zona de classificação para a Libertadores do ano que vem.
O Esquadrão foi beneficiado pela derrota do São Paulo para o Goiás, também nesta quarta-feira, por 1×0. O tricolor paulista é o 6º colocado, com 35 pontos, e o baiano é o 7º, com 34.
- Anúncio -
O Corinthians, que entrou em campo na quarta-feira pela Copa Sul-Americana, é o 5º, também com 35. O Timão só joga pela 21ª rodada em 2 de outubro, contra a Chapecoense.
Artur, aos 23 minutos do 1º tempo, e Élber, aos 17 da etapa final, fizeram os gols. O Botafogo teve Gilson expulso aos 33 da primeira etapa.
O Esquadrão havia empatado na Fonte Nova com o Fortaleza em 1×1 e perdido para o Corinthians na capital paulista por 2×1 nos dois últimos jogos pela Série A.
Agora, o adversário será o vice-lanterna Avaí. O duelo será em Florianópolis, na segunda-feira (30), às 20h. O time catarinense ainda joga nesta quinta-feira (26) pela 21ª rodada, contra o Grêmio, em Porto Alegre.
Fez a cama
O Bahia dominou o primeiro tempo. Com marcação avançada, não deixava o Botafogo ocupar o ataque e tentava explorar o contra-ataque.
A primeira chance foi dos cariocas. Aos 12, Diego Souza lançou Victor Rangel e Douglas teve que sair do gol para afastar. Lucas Campo tentou por cobertura, mas Juninho tirou em cima da linha.
O gol tricolor veio quando o jogo ainda estava 11 contra 11. Em bela jogada, Guerra lançou Moisés na esquerda. Ele levou para a linha de fundo e cruzou. Gilberto não desviou na primeira trave, mas Artur conferiu na segunda. 1×0.
A expulsão veio aos 32. O Bahia roubou a bola da defesa do Botafogo e Élber disparou pela esquerda. Último homem, Gílson derrubou Élber na entrada da área e recebeu o cartão vermelho. Na cobrança da falta, Gilberto tirou tinta da trave direita.
Com um homem a menos, o Bota não teve outra escolha senão recuar. E o Bahia, diante de um ferrolho, teve mais dificuldade para criar.
Aos 37, lance polêmico: Nino foi derrubado dentro da área por Lucas Barros e foi para o chão. O árbitro reviu o lance no vídeo, mas não apontou o pênalti.
E deitou
O segundo tempo foi de enorme tranquilidade para o Bahia. O Botafogo recuou todo o time e ficou aguardando um contra-ataque que o Esquadrão não deixava encaixar. Na prática, o time carioca esperou o final da partida.
O Bahia jogou solto. Élber e Moisés estavam em noite inspirada, e puxaram os principais ataques do tricolor. Aos 10, por exemplo, o lateral-esquerdo chutou da quina da área e a bola raspou a trave de Gatito Fernández.
Aos 16, Gilberto teve chance preciosa de deixar o Bahia tranquilo. Élber, caindo pela direita, cruzou na área. A zaga do Botafogo furou e o camisa 9 cabeceou livre, mas mandou para fora.
Não tem problema: Élber deu conta do recado. O atacante teve a ajuda de Artur, que aos 17 minutos deixou Gabriel na saudade pela direita e cruzou. O companheiro só teve o trabalho de completar para as redes.
Assim, o tricolor segue no ritmo do G6. Terá agora que dar conta da missão fora de casa, em Florianópolis.
FICHA TÉCNICA
Bahia 2 x 0 Botafogo
Campeonato Brasileiro – 21ª rodada

Local: Arena Fonte Nova, em Salvador
Data: 25/09/2019 (quarta)
Horário: 21h30     
Árbitro: Flavio Rodrigues de Souza (SP)
Auxiliares: Emerson Augusto de Carvalho e Neuza Inês Back (ambos FIFA-SP)
VAR: Thiago Duarte Peixoto, auxiliado por Marcio Henrique de Gois e Evandro de Melo Lima (todos de SP).
Cartões amarelos: Élber (Bahia)
Cartão vermelho: Gilson (Botafogo)
Gol: Artur, Élber (Bahia)
Bahia: Douglas; Nino Paraíba, Lucas Fonseca, Juninho e Moisés; Gregore, Flávio e Guerra (João Pedro); Artur, Élber (Arthur Caíke) e Gilberto (Fernandão). Técnico: Roger Machado.
Botafogo: Gatito; Marcinho, Marcelo, Gabriel e Gilson; Cícero, João Paulo (Gustavo Bochecha) e Diego Souza (Rickson); Pimpão, Lucas Campos (Lucas Barros), Victor Rangel. Técnico: Eduardo Barroca

0 comentários:

Postar um comentário