terça-feira, 19 de setembro de 2017

Brumado: Servidor público tem pescoço cortado por linha de pipa com cerol

Brumado: Servidor público tem pescoço cortado por linha de pipa com cerol

O servidor público Marcelo Pereira, que trabalha como porteiro no Almoxarifado Central e no setor de obras da prefeitura de Brumado, por pouco não foi degolado por uma linha de cerol no último sábado (16). O incidente aconteceu enquanto a vítima trafegava de moto pela pista de escoamento de minério no Bairro Baraúnas. O servidor não percebeu a linha da pipa esticada no trecho e acabou sendo atingido no pescoço. Familiares contaram ao site Achei Sudoeste que Marcelo caiu da motocicleta com a linha de cerol presa no pescoço, aprofundando ainda mais o corte. Como perdia muito sangue, os populares prestaram socorro por conta própria e conduziram a vítima ao Hospital Professor Magalhães Neto, onde ele foi socorrido pela equipe médica. Segundo relato de um familiar a nossa reportagem, o corte chegou a atingir superficialmente a artéria principal e por pouco não provocou uma hemorragia profunda. O servidor público recebeu vários pontos e foi instalado um dreno na região do ferimento.
 Ele repousa em casa sob os cuidados da família, se resguardando de conversar, conforme recomendação médica. No momento do ocorrido, havia um grupo de crianças e adolescente soltando pipa na localidade. A família apela aos pais para orientar os filhos a evitarem a brincadeira com a linha de cerol, que é composta de matérias cortantes, dentre os quais pedaços de vidro. Em Brumado, já foram registrados vários incidentes envolvendo linha de pipa com cerol. Alguns casos provocaram até apagões em alguns bairros da cidade, após as linhas se prenderem aos fios de alta tensão de condução de energia. Os próprio donos das pipas acabam se acidentando ao receberem parte da descarga elétrica. Por conta dos ventos da temporada, os meses de agosto e setembro são os favoritos para a brincadeira e é período em que mais se registram as ocorrências, que, além de causar danos físicos, ainda podem tirar a vida das vítimas. (AcheiSudoeste)

Nenhum comentário:

Postar um comentário