quarta-feira, 17 de outubro de 2018

Brasileiras tem cada vez menos filhos, aponta estudo da ONU



 Foto: ilustrativa/Pexels
A brasileira tem cada vez menos filhos, de acordo com relatório Situação da População Mundial, do Fundo de População das Nações Unidas (Unfpa-ONU), lançado nesta quarta-feira (17/10). Atualmente, a média é de 1,7 filho por família brasileira – contra 6 na década de 1960. O estudo mostra, ainda, que a taxa de fecundidade no Brasil é inferior à média da América Latina (2) – 11 países foram comparados – e do mundo (2,5). Em relação à idade, a mulher brasileira se torna mãe, em média, aos 26,4 anos. Entre os três países com menor taxa de fecundidade, Chile e El Salvador empatam com 1,76 filho, tendência que deve se manter até 2020.  Ao jornal Estadão, o representante da Unfpa Jaime Nadal explicou que essa taxa coloca o Brasil abaixo da taxa de reposição, de 2,1 filhos por mulher. “Ou seja, a população deve decrescer”, disse.
QUEDA
Ao longo de três gerações, tamanho da família brasileira diminuiu com a redução do número de filhos

Fonte: Nações Unidas e IBGE

EM TEMPO
Em menos de 30 anos, a população do Brasil deve estagnar em 233,2 milhões de pessoas, segundo projeção de população do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Tudo indica que a partir de 2047 a população cairá gradualmente, até chegar aos 228,3 milhões em 2060. Um quarto da população, em 2060, deverá ter mais de 65 anos. Se a taxa de fecundidade total para 2018 é de 1,7 filho por mulher, o número médio de filhos por mulher deverá reduzir para 1,66 em 2060. Entre os estados, as maiores taxas de fecundidade serão em Roraima (1,95), seguido do Pará, do Amapá, do Maranhão, de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul – todos com 1,8. Os menores índices, por outro lado, deverão ser no Distrito Federal (1,5) e em Goiás, Rio de Janeiro e Minas Gerais, todos com 1,55. Ainda de acordo com a projeção do IBGE, a idade média em que as mulheres têm filhos é hoje de 27,2 anos e deverá chegar a 28,8 anos em 2060. (Aratu online)

0 comentários:

Postar um comentário