Pular para o conteúdo principal

Dicas para ajudar na alfabetização das crianças durante a pandemia

 

Dicas para ajudar na alfabetização das crianças durante a pandemia - educacaoImagem de Free-Photos do Pixabay

A alfabetização é um dos períodos mais desafiadores da vida escolar. Durante a pandemia, os pais tiveram que participar mais ativamente dessa etapa importante. Lucila Sarteschi, Coordenadora dos Anos Iniciais do Ensino Fundamental do Colégio Renascença, explica que uma das maiores dificuldades está relacionada à escrita – tanto o desenvolvimento motor, quanto à passagem da letra bastão para a letra cursiva.

No entanto, a educadora ressalta que a parceria entre a escola e a família pode gerar frutos positivos sempre. Para isso, a pedagoga separou algumas dicas de atividades e brincadeiras que ajudam na alfabetização das crianças:

Peça ajuda na Lista de Compras

No que diz respeito à alfabetização dentro de um formato remoto, os pais podem convidar os filhos a escreverem listas de compras, lugares a serem explorados, roupas, entre outros. Listas estimulam as crianças a organizarem seu pensamento e fazem parte do “escrever com sentido”.

Bilhetes pela Casa

A escrita de bilhetes e convites também é uma excelente ferramenta, pois os textos são curtos, de fácil compreensão e cumprem um papel social. Por meio deles, pais e filhos podem estreitar laços de confiança e segurança, tão importantes neste momento. Além disso, essa brincadeira também pode ajudar com que as crianças elaborem os sentimentos e os comuniquem.

Cultivar a Leitura

De acordo com Lucila Sarteschi, a parceria dos pais é importante também com a leitura de diferentes gêneros textuais, como: crônicas, poesias, gibis, contos. Desta forma, estimulam e demonstram a importância desta habilidade – não apenas por uma questão educacional, mas também porque pode ser um hábito divertido e prazeroso.

Ainda assim, a pedagoga tranquiliza os pais sobre as possíveis lacunas por falta de um contato. O planejamento pedagógico de 2021 está revisitando estes pontos sensíveis:

“Algumas conquistas educacionais exigem tempo, observação, treino, persistência e contato físico, por exemplo: aprender a posicionar o lápis na pauta e realizar movimentos corretos e precisos. Mas essa questão será possível recuperar nos anos seguintes de escolaridade, além de outras relacionadas à gramática e ortografia”, finaliza Sarteschi.

Matéria: Adriana Fernandes/ Tropico Comunicação

Comentários