quinta-feira, 21 de março de 2019

Alfabetização incentiva garis a novas leituras de mundo e interesse pelo estudo

-
Foto: Arquivo Pessoal
“Me senti como uma criança começando a descobrir o mundo, sentado no chão aprendendo a lição”. Esse foi um dos trechos do relato emocionado do gari, Cícero José Lira dos Santos, um dos 23 alunos do curso Alfagaris e que vai se formar na próxima sexta-feira (22), na Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs).
Cícero é um dos alunos mais dedicados e empolgados da turma. Ele conta que já tinha perdido a esperança em aprender a ler e a escrever e não imaginava que pudesse um dia poder pegar um ônibus através da sua própria leitura e sem perguntar a ninguém. A oportunidade da alfabetização veio através da empresa Sustentare, onde ele trabalha, através de uma parceria da empresa com a Uefs. Cícero foi convidado a participar do curso de alfabetização e iniciou uma etapa de novas descobertas em sua vida.
“Deus me deu mais do que um trabalho. Me deu uma oportunidade para viver melhor. Quem trabalha como gari sabe muito bem o que é ser humilhado ao pegar um ônibus, por exemplo. Por não saber ler, eu me sentia perdido. Tinha gente que me olhava como se porque eu trabalho na coleta eu estivesse sujo e me olhava com desprezo, com indiferença. Hoje não tem mais isso. Não preciso perguntar qual a linha do ônibus. Aprendi com as minhas professoras a ler, escrever e muitas coisas sobre meus direitos, amor ao próximo, respeito e elas me deram mais esperança para viver. Me disseram que eu posso ser gari e o que eu quiser”, comentou Cícero.
O aprendizado da leitura e da escrita trouxe para Cícero além de mais esperança, mais autoestima e alegria.
Ele fala com muita felicidade que pretende continuar os estudos e o carinho pelas professoras é demonstrado pela forma amorosa com que se refere a elas e as atividades desenvolvidas em sala de aula.
“Elas me deram a oportunidade de aprender o que eu não tive oportunidade enquanto criança. Comecei a trabalhar muito cedo e tive que abandonar os estudos. Hoje com 46 anos eu aprendi a ler e a escrever e me sinto vitorioso”, acrescentou em entrevista ao Acorda Cidade.
Pedro Carlos dos Santos Guimarães também é aluno do curso Alfagaris e da turma que vai se formar na próxima sexta-feira. Ele contou que está muito empolgado com a formatura e que aprender a ler e escrever não foi tarefa fácil, principalmente conciliar o trabalho com os estudos. No entanto, depois de muito esforço e dedicação Pedro diz que também dará continuidade aos estudos e pretende, quem sabe, avançar na carreira profissional e conquistar novas oportunidades na empresa em que trabalha.
“Estou muito realizado em terminar o curso e ansioso para a formatura. Será um momento de celebrar tudo que passamos e de dizer que as dificuldades foram vencidas. Confesso que pensei em desisti e achei que não iria conseguir. Mas, a vontade de aprender foi mais forte e eu estou aqui lendo e escrevendo. Hoje já trabalho na coleta com mais segurança, por exemplo, vou pegar um material que tem uma identificação que é vidro, já leio e pego com mais cuidado, mais atenção. Ler me deu mais segurança no trabalho da coleta e faz com que acidentes sejam evitados. Quero continuar a estudar e até quem sabe ser um motorista da empresa em que trabalho. Quero crescer na vida”, frisou.
Orgulho para família
O gari Edilson José de Santana relatou que desde que iniciou a alfabetização no curso Alfagaris, além de novos aprendizados tem sido o orgulho de toda a família. A expectativa para a formatura está grande e ele sabe que o apoio de todos os familiares e incentivo foram fundamentais para que não desistisse do curso.
“Não foi fácil e eu sei que cheguei até aqui com a ajuda de todos. Minha família sempre me incentivou e achou bom que eu estudasse. Eu me esforço a cada dia e acredito que é só o começo da minha jornada enquanto estudante”, afirmou.
A oradora da turma do curso de alfabetização AlfaGaris é a gari Eliene Silva dos Santos, ela comenta que sua dedicação aos estudos também enche a sua família de orgulho e alegria. Eliene está treinando para fazer bonito no discurso da formatura e declara que não sabe se vai conter a emoção no momento em que estiver no púlpito relembrando cada atividade e experiência vivida ao lado das professoras e dos seus colegas de turma.
“Eu estou preparada para a formatura. Fui escolhida para falar pela turma e espero fazer por onde. Estou muito contente por toda oportunidade que tive até aqui. Quero agradecer a todo mundo. A empresa, a Uefs, as minhas prózinhas e se não fosse por elas a gente não conseguiria. Para mim concluir a alfabetização é a realização de um grande sonho em minha vida”, contou emocionada.
No dia da entrevista para o Acorda Cidade todos os componentes da turma do projeto Alfagaris estavam em uma loja de aluguel de roupas de festa provando e escolhendo as roupas para usar no dia da formatura. Eles estão nos preparativos finais e contam com a ajuda de Terezinha Ferreira Gomes, que é coordenadora administrativa da empresa Sustentare.
Terezinha informou que os preparativos estão na etapa final e haverá muitas surpresas na cerimônia de formatura. Inclusive as fotos das roupas usadas ainda não podem ser divulgadas. Os garis estão guardando esse momento para ser partilhado com os familiares e assim dividirem todo o sentimento de vitória, alegria e festa.
Terezinha acompanhou os alunos durante todo o curso de alfabetização e explicou que o projeto surgiu a partir de uma experiência que a empresa tem em Brasília.
“Esse é o segundo ano do projeto aqui em Feira. Formamos uma parceria com a universidade e os garis estudam no horário de serviço em duas salas de aula. A empresa fornece o espaço, o lanche e o material escolar. A Uefs entra na parte pedagógica do projeto e sexta-feira será a formatura. É uma satisfação e muito gratificante ver que de alguma forma estamos contribuindo para que eles possam fazer coisas simples como assinar o nome em um documento, pegar um ônibus com facilidade e ira ao banco. Hoje eles inclusive desempenham o trabalho da coleta lendo as sinalizações e evitando acidentes”, explicou.
Os alunos da segunda turma do projeto Alfagaris se referem a colega de empresa, a coordenadora administrativa com muito carinho e gratidão. Ela os acompanhou desde o início do projeto e é a madrinha da turma. Além do carinho por Terezinha, eles também apresentam muito apreço pelas professoras Sandra, Geisa e Rogéria da Uefs.
A conclusão do curso de alfabetização significa mais do que vencer uma etapa dos estudos, deixa para os garis uma lição que é importante para toda vida. De que sempre vale a pena sonhar, acreditar e que a leitura e a escrita abrem a janela para o mundo.
Além das atividades em sala de aula, o curso de alfabetização dos garis proporcionou visitas de campo e atividades práticas na Feira do Livro, Expofeira, Museu Casa do Sertão e Centro Universitário de Cultura e Arte (Cuca).

0 comentários:

Postar um comentário